Inteligência artificial: Comissão apresenta iniciativa europeia para estimular o investimento e definir orientações para as questões de ética

 
A Comissão Europeia apresentou uma série de medidas com o objetivo de colocar a inteligência artificial (IA) ao serviço dos cidadãos europeus e de estimular a competitividade da Europa neste domínio. 
 
A Comissão propõe uma abordagem assente em três eixos: aumentar o investimento público e privado em IA, preparar as mudanças socioeconómicas e garantir um quadro ético e jurídico adequado. Esta iniciativa vem na sequência do pedido dos dirigentes europeus de uma iniciativa europeia em matéria de inteligência artificial.
 
A Europa conta com investigadores, laboratórios e startups de craveira mundial no domínio da inteligência artificial. Está igualmente bem colocada no domínio da robótica e é líder mundial nos setores dos transportes, dos cuidados de saúde e da indústria transformadora, que devem adotar a IA para continuarem a ser setores competitivos. No entanto, a forte concorrência internacional exige uma ação coordenada para que a UE fique na vanguarda do desenvolvimento da IA.
 
A UE (setores público e privado) deve aumentar os investimentos na investigação e na inovação no âmbito da IA em pelo menos 20 mil milhões de EUR até ao final de 2020. No intuito de apoiar estes esforços, a Comissão está a aumentar os seus investimentos para 1,5 mil milhões de EUR para o período de 2018 a 2020 no âmbito do programa de investigação e inovação Horizonte 2020. Este investimento deverá desencadear um financiamento adicional de 2,5 mil milhões de EUR no âmbito das parcerias público-privadas existentes, por exemplo, no domínio dos megadados e da robótica. Irá apoiar o desenvolvimento da IA em setores fundamentais, dos transportes à saúde, Iigar e reforçar os centros de investigação no domínio da IA em toda a Europa e incentivar os ensaios e a experimentação. A Comissão apoiará igualmente o desenvolvimento de uma «plataforma de IA a pedido» que fornecerá acesso a importantes recursos de IA na UE para todos os utilizadores.
 
Além disso, o Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos será mobilizado para conceder às empresas em geral e às startups apoio adicional para investimento em IA. Com o Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos pretende-se mobilizar mais de 500 milhões de EUR em investimentos totais até 2020 em toda uma série de setores fundamentais.
 
A Comissão prosseguirá também a sua ação para a criação de um ambiente propício aos investimentos. Uma vez que os dados são a matéria-prima da maior parte das tecnologias de IA, a Comissão propôs legislação que visa permitir a reutilização de um maior volume de dados e medidas para tornar mais fácil a partilha de dados. Tal abrange os dados provenientes dos serviços de utilidade pública e do ambiente, bem como da investigação e da saúde.
 
 

Sessão de Informação: «Universidade Sénior»

No passado dia 20 de abril, pelas 14h00, nas instalações da ASAS – Academia Sénior de Artes e Saberes, em Vila Nova de Santo André, o CIED - Centro de Informação Europe Direct Alentejo Central e Litoral, promoveu sessão de informação aos cerca de 20 interessados inscritos. O encontro contou com a colaboração daquela instituição de partilha de saberes de grande dinâmica local. Do encontro destaca-se a apresentação deste CIED, bem como a partilha de experiências acerca dos efeitos diretos da UE na vida dos cidadãos, ao longo da história da integração de Portugal na UE. 

Comissão reforça os direitos dos consumidores e a sua aplicação na UE

 
A Comissão Europeia propôs um novo acordo para os consumidores, a fim de garantir que todos os consumidores europeus beneficiam plenamente dos seus direitos ao abrigo do direito da União.
 
Embora a UE já disponha de algumas das regras mais rigorosas em matéria de defesa do consumidor a nível mundial, casos recentes, como o escândalo de Dieselgate, demonstraram que é difícil fazê-las cumprir plenamente na prática. O novo acordo para os consumidores irá habilitar as entidades qualificadas a lançar ações representativas em nome dos consumidores e introduzir sanções mais rigorosas para as autoridades dos Estados-Membros responsáveis pela defesa do consumidor. Alargará também a proteção dos consumidores quando estão em linha, clarificará a legislação da UE e esclarecerá que são proibidas as práticas de dupla qualidade, suscetíveis de induzir em erro os consumidores.
 
 
O novo acordo para os consumidores implicará:
 
1. Reforçar os direitos dos consumidores em linha
 
2. Dar aos consumidores os instrumentos necessários para fazer valer os seus direitos e obter uma indemnização 
 
3. Introduzir sanções eficazes contra as violações da legislação em matéria de defesa do consumidor
 
4. Lutar contra a dualidade de critérios no que diz respeito à qualidade dos produtos de consumo
 
5. Melhores condições para as empresas
 
 
#ConsumerProtection #EU4Consumers
 
 
 

VentureEU: 2,1 mil milhões de EUR para estimular o investimento de capital

 
A Comissão Europeia e o Fundo Europeu de Investimento (FEI) lançaram um programa que estabelece um fundo de fundos de capitais de risco pan-europeu (VentureEU) para estimular o investimento em empresas inovadoras em fase de arranque e em expansão em toda a Europa.
 
A Europa dispõe de um manancial de talento, de investigadores de categoria mundial e de empresários qualificados, mas tem de conseguir converter melhor essa excelência em histórias de sucesso. O  acesso ao capital de risco desempenha um papel fundamental na inovação. A Comissão e o FEI apresentam hoje seis fundos que receberão apoio da UE para cumprir a sua missão de investir no mercado europeu de capital de risco. Apoiados por financiamento da UE no montante de 410 milhões de EUR, os fundos deverão mobilizar 2,1 mil milhões de EUR de investimentos públicos e privados.
 
Espera-se que estes investimentos, por sua vez, gerem cerca de 6,5 mil milhões de EUR de novos investimentos em empresas inovadoras em fase de arranque e em expansão em toda a Europa, duplicando o montante de capital de risco atualmente disponível na Europa.
 
O capital de risco é essencial para o bom funcionamento da União dos Mercados de Capitais, mas continua a estar pouco desenvolvido na Europa. Em 2016, os investidores de capital de risco investiram cerca de 6,5 mil milhões de EUR na UE, contra 39,4 mil milhões de EUR nos EUA.
 
Além disso, os fundos de capital de risco na Europa são demasiado pequenos — 65 milhões de EUR em média, contra 156 milhões de EUR nos EUA. Em consequência, estas empresas deslocam-se para ecossistemas onde tenham melhores hipóteses de crescer rapidamente. No final de 2017, 26 empresas da UE tinham atingido o estatuto de «unicórnio» (empresas com um valor de mercado de mais de mil milhões de dólares), em comparação com 109 empresas nos EUA e 59 na China.
 
O VentureEU proporcionará novas fontes de financiamento, dando aos inovadores europeus a possibilidade de se converterem em empresas líderes a nível mundial. Cerca de 1 500 empresas em fase de arranque e em expansão deverão ter acesso a este financiamento em toda a UE.
 
A UE disponibilizará investimentos de base num montante de 410 milhões de EUR, dos quais 200 milhões de EUR provêm do Horizonte 2020 (o programa europeu de financiamento da investigação e inovação), 105 milhões do programa COSME (programa europeu para as pequenas e médias empresas) e 105 milhões do Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE) – o chamado Plano Juncker – incluindo 67 milhões de EUR de recursos próprios do FEI. O restante financiamento será angariado pelos gestores de fundos selecionados, principalmente entre investidores independentes.
 
Os seis fundos adquirirão participações num conjunto de fundos de investimento de menor dimensão e financiarão projetos em pelo menos quatro países europeus cada. Estes fundos de menor dimensão irão ajudar a financiar pequenas e médias empresas (PME) e empresas de média capitalização de vários setores, como as Tecnologias da Informação e das Comunicações (TIC), o setor digital, as ciências da vida, as tecnologias médicas e a eficiência energética e de recursos.
 
O investimento da UE no VentureEU será gerido pelo FEI sob a supervisão da Comissão e executado por intermédio de seis gestores de fundos profissionais e experientes, assegurando uma abordagem plenamente orientada para o mercado. Tal irá atrair mais investimentos e aumentar significativamente a disponibilidade de capital de risco para as empresas em fase de arranque e em expansão na UE.
 

Diálogo com os Cidadãos com o Comissário Carlos Moedas em Évora

 

 

Realizar-se-à na próxima terça-feira, dia 3 de abril, um diálogo com os cidadãos na Universidade de Évora, que contará com a presença do Comissário Carlos Moedas. O evento será terá como tema os jovens e a Europa - novas abordagens, renovados desafios com o Comissário.

A entrada é gratuita mas requer inscrição.

Ligue-se a nós

 Facebook

 Twitter

 Youtube

 

Financiado por

 
 
 
 
 

Contactos

ADRAL
Rua Intermédia do PITE, 

Lt 4 e 6 7005-513 Évora
Tel (+351) 266 769 159
E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.