Dia da Criança na Escola Conde de Vilalva

 
O Centro Europe Direct Alentejo Central e Litoral realizou, no passado dia 01 de junho de 2017 “Sessão Europa Vai à Escola” dedicada às comemorações do Dia da Criança, na Escola Básica Conde de Vilalva. 
A sessão teve como objetivo proporcionar aos estudantes informação relacionada com a história da União Europeia, demonstrando os valores implícitos na união dos estados-membros, através de uma reflexão sobre o percurso que tem sido concretizado até hoje.
Foi ainda apresentado um vídeo referente ao euro, mostrando quem são as entidades responsáveis pela moeda, como perceber se uma nota é verdadeira ou falsa, e as diferentes faces nacionais das moedas.
Por fim, foi também dado destaque ao concurso EURO RUN, em que os alunos podem concorrer com o auxílio dos professores.
 
 

CIED Alentejo Central e Litoral na 30.ª Edição da Santiagro

 
O Centro Europe Direct Alentejo Central e Litoral, marcou presença na 30.ª edição da Santiagro – Feira Agropecuária e do Cavalo, de dia 25 a 28 de maio de 2017, disponibilizando informação acerca das políticas europeias, em Stand Institucional.
 
Durante a Santiagro (30.ª Edição) o CIED desenvolveu ainda sessão de informação e entrega do Pacote Pedagógico para Professores – “Agricultura no Centro da Nossa Vida”, desenvolvido pela Direção Geral da Agricultura e do Desenvolvimento Rural da Comissão Europeia. A equipa do Centro Europe Direct Alentejo Central e Litoral, tendo como referência um dos temas centrais do certame, convidou os representantes dos Agrupamentos de Escolas do Concelho de Santiago do Cacém a reunir, tendo em vista refletir sobre as potencialidades dos recursos didáticos que o referido pacote oferece, nomeadamente: clipe animado, apresentação de diapositivos sobre agricultura europeia e versões digitais de todas as fichas de trabalho e mapa da UE.
 
A iniciativa permitiu expor os recursos do pacote tendo por base: Módulos de conteúdos programáticos (Alimentação, Ambiente e Zonas Rurais), Propostas de Planos de aula e Materiais de Recurso. Durante a sessão houve incidência sobre exemplos de conteúdos relacionados com o Módulo Alimentação, registando-se especial interesse, por parte da assistência, relativamente ao Módulo Ambiente (biodiversidade e agricultura sustentável).
 
Futuramente serão agendadas reuniões com os diversos Agrupamentos de Escola do Alentejo Central e Litoral, tendo por fim a entrega dos referidos materiais.
 

Mais locais na Europa cumprem as normas de excelência da qualidade das águas balneares

 
Segundo o relatório anual sobre a qualidade das águas balneares, mais de 85 por cento das zonas balneares europeias monitorizadas em 2016 satisfaziam as mais rigorosas normas de qualidade (qualidade «excelente»), o que significa que a maioria das zonas balneares está isenta de poluentes nocivos para a saúde humana e para o ambiente. Mais de 96 por cento das zonas balneares satisfazem os requisitos mínimos de qualidade estabelecidos ao abrigo das regras da União Europeia.
 
O relatório da Agência Europeia do Ambiente (AEA) e da Comissão Europeia confirma uma tendência positiva, verificada ao longo dos últimos 40 anos, com águas balneares europeias cada vez mais limpas. O relatório compila análises de amostras de água recolhidas em mais de 21 000 zonas balneares costeiras e interiores e dá uma boa indicação de quais são os locais onde se poderá encontrar a melhor qualidade da água neste verão. As águas balneares são objeto de amostragem e monitorizadas para deteção de contaminação por poluição fecal proveniente das águas residuais ou da agropecuária.
 
Tal como nos últimos anos, a grande maioria das zonas balneares europeias pode-se orgulhar da boa qualidade da água. Em 2016, 96,3 % dos locais cumpriram os requisitos mínimos de qualidade definidos na diretiva da UE relativa às águas balneares (ou seja, apresentaram qualidade «suficiente»). Este valor é ligeiramente superior ao verificado em 2015 (96,1 %). Mais de 85 % (85,5 %) das zonas balneares atingiram o nível mais rigoroso da diretiva (ou seja, qualidade «excelente»), um valor em alta face a 2015 (84,4 %).
 
O relatório abrange zonas balneares em toda a UE, na Albânia e na Suíça. As águas balneares europeias estão muito mais limpas do que há quarenta anos, quando grandes quantidades de águas residuais municipais não tratadas ou apenas parcialmente tratadas eram lançadas para os cursos de água. 
 
 

Consulta pública: Alegações de saúde sobre as plantas e respetivas preparações

 
A Comissão Europeia lançou um Painel para as PME sobre:  Alegações de saúde sobre as plantas e respetivas preparações e quadro regulamentar mais geral para a sua utilização nos alimentos com 2 questionários associados( cf. anexo):
 
Alegações de saúde sobre as plantas e respetivas preparações e quadro regulamentar mais geral para a sua utilização nos alimentos
Perfis nutricionais dos alimentos que ostentam alegações
 
A data-limite para submissão de respostas  é 23 de Junho.
 
Anexos:
Fazer download deste ficheiro (ConsultaPub1.pdf)ConsultaPub1.pdf[Consulta Pub1]364 kB
Fazer download deste ficheiro (ConsultaPub2.pdf)ConsultaPub2.pdf[Consulta Pub2]469 kB

Declarações da Comissão Juncker sobre a saída de Portugal do Procedimento por Défice Excessivo (PDE)

 
O Vice-Presidente Valdis Dombrovskis e os Comissários Pierre Moscovici e Marianne Thyssen dão hoje, em Bruxelas, uma conferência de imprensa onde para apresentaram o Pacote do Semestre Europeu – Recomendações Específicas por País. 
 
Sobre a saída de Portugal do Procedimento por Défice Excessivo (PDE) os Comissários disseram:
“Este é um dia importante para Portugal. Recomendamos a revogação do Procedimento por Défice Excessivo para Portugal e esperamos que os Estados-Membros apoiem a nossa recomendação. Esta revogação simboliza o caminho muito longo que Portugal e os portugueses percorreram para ultrapassar as dificuldades da crise, inverter a direção da economia e colocá-la de novo no trilho do crescimento. O feito de hoje deve-se, antes de mais, ao povo português. Importa agora reforçá-lo e tornar o crescimento sustentável (duradouro) e garantir que beneficia todos os membros da sociedade. É por isso crucial que Portugal continue empenhado num ambicioso plano de reformas estruturais que deve incluir, entre outros, continuar no caminho das políticas orçamentais responsáveis e garantir uma despesa pública mais eficiente; fazer face ao aumento dos custos dos sistemas de saúde e pensões; um maior reforço do seu setor financeiro, que inclui dar resposta aos elevados níveis de crédito mal parados. Recomendamos também uma atenção contínua no que se refere à melhoria das políticas do mercado de trabalho, em especial o auxílio a quem procura emprego. Convido as autoridades portuguesas a aproveitar este momento e agir agora com determinação para que Portugal desbloqueie o seu verdadeiro potencial e cresça no sentido de numa economia resiliente, dinâmica e inovadora.”
Vice-Presidente do Euro e Diálogo Social, Valdis Dombrovskis
 
 
"Desde 2014, mais de 6 milhões de empregos foram criados na Europa. O desemprego é agora de 8%, o nível mais baixo desde 2009. Este crescimento tem de chegar a todos na nossa sociedade. A dimensão social da Europa está no âmago do nosso trabalho. Pedimos aos Estados-Membros que prestem mais atenção ao impacto social dos seus esforços de reforma. Apelamos a mais reformas para melhorar as competências dos trabalhadores e da sua educação e formação. Isso é essencial para combater a pobreza e as desigualdades. Temos de ter sociedades e mercados de trabalho inclusivos para não deixar ninguém para trás".
Comissária europeia para o Emprego, Assuntos Sociais, Competências e Mobilidade Laboral, Marianne Thyssen
 
"Há duas semanas apresentei as nossas previsões económicas da Primavera. Hoje, apresento as recomendações. Queremos uma aplicação inteligente das nossas regras, assegurando esforços de consolidação orçamental que continuam a ser necessários para vários países. Temos um problema de procura na zona euro. Quais são as decisões de hoje: propomos para a Croácia e para Portugal, acabar com o procedimento por défice excessivo. Em relação ao caso de Portugal, este procedimento foi aberto em 2009, o país esteve sujeito a apoio. Trata-se de uma boa notícia para os portugueses. É um reconhecimento dos esforços do povo português. Em 2011, eram 24 os países com PDE. Hoje, são quatro. Isto permitiu consolidar finanças públicas e tornar as economias mais sãs. Podemos dizer que estamos num bom caminho."
Comissário europeu para os Assuntos Económicos e Financeiros, Fiscalidade e União Aduaneira, Pierre Moscovici 
 
 
O Comissário Europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, disse hoje, na Conferência "Crescimento da Economia portuguesa – mitos e realidades", no CCB, em Lisboa:
 
"Não podia começar esta intervenção sem falar daquilo que estamos a viver hoje, que é a recomendação da Comissão e do Colégio de Comissários para o fim do chamado Procedimento  por Défice Excessivo. É um dia importante para Portugal e é um dia em que os portugueses estão de parabéns. Nunca nos podemos esquecer que foi uma década, quase uma década, para corrigir os erros de uma outra década. Em 2009, o país tinha um défice de quase 10% do PIB. Significava que gastávamos quase mais 20 mil milhões de euros do que aquilo que recebíamos, em termos do Estado. Isso mostra como os erros em economia se corrigem, mas corrigem com grandes  custos e grandes sacrifícios. Mas é um  excelente dia, é um dia que pode realmente ser o princípio de uma liberdade de escolha maior e uma capacidade de investir e de tomar decisões que até agora não podíamos tomar." 
 
 

Ligue-se a nós

 Facebook

 Twitter

 Youtube

 

Financiado por

 
 
 
 
 

Contactos

ADRAL
Rua Intermédia do PITE, 

Lt 4 e 6 7005-513 Évora
Tel (+351) 266 769 159
E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.