Mais de 1 300 estudantes de mestrado vão beneficiar de bolsas de estudo Erasmus Mundus em 2017

 
1 345 estudantes de todo o mundo receberam recentemente a boa notícia de que lhes foi concedida uma bolsa de estudo financiada pela UE para iniciar um Mestrado Conjunto Erasmus Mundus no próximo outono.
 
Estas bolsas de estudo cobrirão todos os custos dos seus programas de estudos que lhes permitirão frequentar duas ou mais instituições de ensino superior em busca de um mestrado conjunto ou duplo. A maior parte dos programas tem a duração de dois anos.
 
Os 100 programas de Mestrado Conjunto Erasmus Mundus que oferecem bolsas de estudo da UE em 2017 abrangem uma vasta gama de temas: da astrofísica e nanotecnologia à cartografia e ética desportiva. As bolsas deste ano foram atribuídas a estudantes de seis continentes, sendo os cinco principais países de origem o Brasil (79), a Índia (63), o Irão (59), Bangladesh (58) e o México (49).
 
Pelo menos 75 % das bolsas são destinadas a estudantes dos países parceiros, sendo atribuídas bolsas de estudos adicionais a certas regiões do mundo onde o ensino superior constitui um domínio prioritário para a cooperação da UE. 25 % das bolsas restantes destinam-se aos estudantes da UE e de outros países participantes no programa.
Os estudantes recentemente agora selecionados terão também a possibilidade de integrar a Associação de Estudantes e Antigo Alunos do Erasmus Mundus e beneficiar dos seus serviços, nomeadamente da criação de uma rede de estudantes antes, durante e após os seus estudos.
 
Cada programa de mestrado prevê ainda que, através de financiamentos da UE, sejam convidados académicos para contribuir para o programa através do ensino ou da investigação.
 

Proteger a biodiversidade e a colher os benefícios económicos da proteção da natureza

 
A Comissão Europeia adotou um novo plano de ação com o objetivo de melhorar a proteção da natureza e da biodiversidade na UE, em benefício dos cidadãos e da economia.
 
O plano consiste de 15 ações a realizar até 2019 e procura melhorar rapidamente a aplicação das Diretivas Aves e Habitats, que constituem as políticas emblemáticas da UE no domínio da proteção da natureza.
 
Estas diretivas estabelecem a maior rede mundial de áreas protegidas ricas em biodiversidade (rede Natura 2000), que abrange 18 % da superfície terrestre e 6 % da zona marítima da UE. Estas áreas protegidas contribuem para entre 1,7 e 2,5 % do PIB da UE através do fornecimento de serviços ecossistémicos, como o armazenamento de carbono, a purificação das águas, a polinização e o turismo. O plano de ação hoje adotado tem por objetivo melhorar a gestão das áreas em causa, interligando de forma mais vasta a proteção da natureza e as atividades socioeconómicas e implicando as autoridades nacionais, as partes interessadas e os jovens.
 
As 15 ações a realizar até 2019 concentram-se em 4 áreas prioritárias:
Melhorar as orientações e os conhecimentos e garantir uma melhor coerência com objetivos socioeconómicos mais abrangentes
Desenvolver uma apropriação política e reforçar o cumprimento das disposições
Reforçar o investimento na rede Natura 2000 e melhorar a utilização dos instrumentos financeiros da UE 
Melhorar a comunicação e a sensibilização e envolver os cidadãos, as partes interessadas e as comunidades

Sessão de capacitação sobre Programa Europeus de apoio a empresas

 
O Centro Europe Direct Alentejo Central e Litoral (CIED) realizou no passado dia 27 de abril de 2017 mais uma sessão dedicada à rede de Gabinetes de Apoio ao Desenvolvimento Económico, na Biblioteca Municipal de Alcácer do Sal.
 
Com o apoio da Câmara Municipal de Alcácer do Sal, o evento desenvolveu-se com a presença da equipa do Centro Europe Direct Alentejo Central e Litoral, dirigindo-se aos técnicos dos Gabinetes Municipais com responsabilidades de apoio e informação às empresas, dos diversos concelhos da região “Alentejo Central e Litoral”. Contando com a colaboração das Técnicas Alexandra Alvarez do IAPMEI/EEN e Alexandra Mota da ANJE que muito enriqueceram a iniciativa. 
 
O evento decorreu conforme o programa, tendo Alexandra Correia, Coordenadora do CIED, dando as boas vindas, passando a palavra à técnica em representação no Pólo Litoral Sofia Lampreia, com fim à apresentação dos serviços de informação disponíveis através do CIED, bem como as actividades propostas para 2017. Dando seguimento à sessão Alexandra Alvarez passou a apresentar SME Instrument, qualificando-se o mesmo como uma oportunidade de financiamento para as empresas, de reconhecido mérito europeu. O encontro terminou com a apresentação do desafiante programa Erasmus para Jovens Empreendedores, realizada por Alexandra Mota.
 
 

Roteiro da Ciência no Alentejo

 
Carlos Moedas, Comissário europeu responsável pelas pastas da Investigação, Ciência e Inovação, estará no Alentejo a 28 e 29 de abril, passando por Évora e Beja. 
 
O Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, a Reitora da Universidade de Évora, Ana Costa Freitas, o Presidente do Instituto Politécnico de Beja, Vítor José de Jesus Carioca, e a Representante da Comissão Europeia em Portugal, Sofia Colares Alves, acompanham o Comissário europeu Carlos Moedas em várias etapas deste Roteiro.
 
Nos concelhos visitados, o Comissário Carlos Moedas visita a Universidade de Évora e o Instituto Politécnico de Beja, assim como alguns dos seus centros de investigação que se destacam pela capacidade de inovação e de produção de conhecimento. Neste Roteiro da Ciência, Carlos Moedas valorizará a inovação no setor agroalimentar, o que o leva a visitar a Ovibeja 2017.
 
O Alentejo é a quarta etapa do Roteiro da Ciência, uma iniciativa que permite explicar a ação da Comissão Europeia na promoção da Investigação, Ciência e Inovação, nomeadamente através dos instrumentos europeus em vigor (Horizonte 2020, Plano de Investimento para a Europa - conhecido como Plano Juncker - e Fundos Estruturais), conhecer casos de sucesso de instituições públicas e privadas, assim como investigadores e empresas, promovendo o contacto entre instituições locais, regionais, nacionais e europeias.
 
O programa (mais detalhes em baixo) é aberto à imprensa e o Comissário fará um balanço da visita à imprensa às 12h30 de sábado, 29 de abril, na Ovibeja. Para mais informações, os jornalistas podem contactar Raquel Patrício Gomes ( Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ). 
 
Programa do Roteiro da Ciência / Alentejo
 
Sexta-feira, dia 28 de Abril de 2017
 
10h00 – 11h00   Intervenção na conferência «Polytechnic Forum on experimental and R&D farms for sustainable food production» sobre o tema da cooperação internacional e a iniciativa PRIMA
Local: Instituto Politécnico de Beja
 
11h15 – 12h30   Visita ao Instituto Politécnico de Beja (IPB)
- Centro de Biotecnologia Agrícola e Agro-Alimentar do Alentejo (CEBAL)
- Laboratório de Educação Física 
- Escola Superior Agrária
- Escola Superior de Tecnologia e Gestão
Local: Instituto Politécnico de Beja
 
14h00 – 14h30   Visita à plataforma de investigação e de energia solar
Local: Universidade de Évora, Polo da Mitra 
 
14h45 – 17h30   Intervenção na conferência «Challenges for Mediterranean research: food, resources and territories»
Local: Universidade de Évora, Polo da Mitra 
 
17h45 – 18h30   Visita à Universidade de Évora
Local: Universidade de Évora 
 
Sábado, dia 29 de Abril de 2017
 
11h00 – 12h00   Visita oficial à 34º. edição da Ovibeja
 
12h00 – 12h30   Entrega dos Prémios do VIIº concurso internacional de azeite
 
12h30 – 13h00  Ponto de Imprensa
 

Comissão apresenta Pilar Europeu dos Direitos Sociais

 
Construir uma Europa mais justa e reforçar a sua dimensão social são prioridades centrais da Comissão.
 
A Comissão cumpre a promessa de adotar a sua proposta relativa ao Pilar Europeu dos Direitos Sociais. O Pilar define 20 princípios e direitos essenciais para apoiar o bom funcionamento e a equidade dos mercados de trabalho e dos sistemas de proteção social. Foi concebido para orientar o processo renovado de convergência tendo em vista assegurar melhores condições de vida e de trabalho na Europa. Destina-se principalmente à área do euro, mas pode aplicar-se a todos os Estados-Membros da UE que a ele queiram aderir.
 
O Pilar foi preparado pela Comissão, sob a liderança do Vice-Presidente Dombrovskis e da Comissária Thyssen, em estreita consulta com os intervenientes a todos os níveis. Reafirma direitos que já estão consubstanciados no acervo internacional e da UE e complementa-os para ter em conta novas realidades. 
 
Os princípios e os direitos consagrados no Pilar estão estruturados em torno de três categorias: igualdade de oportunidades e acesso ao mercado de trabalho, condições de trabalho equitativas, proteção social e inclusão social. Evidenciam caminhos para fazer face aos novos desenvolvimentos no mundo do trabalho e na sociedade, a fim de concretizar o objetivo enunciado nos Tratados de uma economia social de mercado altamente competitiva que tenha como meta o pleno emprego e o progresso social.
 
Pôr em prática os princípios e os direitos definidos no Pilar Europeu dos Direitos sociais é uma responsabilidade conjunta dos Estados-Membros, das instituições da UE, dos parceiros sociais e de outros intervenientes. As instituições europeias ajudarão a estabelecer o enquadramento e assumirão a liderança na aplicação do Pilar, respeitando plenamente as competências dos Estados-Membros e as suas tradições no domínio do diálogo social. Alguns princípios e direitos incluídos no pilar necessitarão de novas iniciativas legislativas para poderem entrar em vigor. Quando necessário, a legislação da UE será atualizada, completada e mais bem aplicada.
 
 
 

Ligue-se a nós

 Facebook

 Twitter

 Youtube

 

Financiado por

 
 
 
 
 

Contactos

ADRAL
Rua Intermédia do PITE, 

Lt 4 e 6 7005-513 Évora
Tel (+351) 266 769 159
E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.