Livro Branco sobre o futuro da Europa

 
Tal como fora anunciado no discurso sobre o Estado da União proferido pelo Presidente Juncker em 2016, a Comissão Europeia apresentou o Livro Branco sobre o futuro da Europa, que constitui o seu contributo para a Cimeira de Roma de 25 de março de 2017.
Agora que nos preparamos para comemorar o 60.º aniversário da UE, olhamos para trás e vemos um período de paz que se prolongou por sete décadas e a uma União alargada que conta com 500 milhões de cidadãos a viver em liberdade, numa das economias mais prósperas do mundo. Ao mesmo tempo, a UE tem de olhar para o futuro e forjar uma visão para o seu próprio futuro a 27. 
O Livro Branco enuncia os principais desafios e oportunidades que se irão deparar à Europa na próxima década. Traça cinco cenários diferentes para a evolução da União até 2025 em função das escolhas que esta vier a fazer. Cada um deles dando uma ideia diferente da possível situação da União em 2025 em função das escolhas que a Europa venha a fazer. Os cenários traçados abrangem uma grande diversidade de possibilidades e têm um caráter meramente ilustrativo. Não se excluem mutuamente nem pretendem ser exaustivos.
Pode consultar o documento na nossa biblioteca.

Acordo Económico e Comercial Global entre EU e Canadá aprovado

 
O Parlamento Europeu aprovou o Acordo Económico e Comercial Global (CETA) entre a UE e o Canadá, concluindo assim o processo de ratificação deste acordo a nível da UE.
 
Congratulando-se com o resultado da votação, realizada em Estrasburgo, o Presidente Jean-Claude Juncker declarou: «A votação do Parlamento Europeu representa um marco importante no processo democrático de ratificação do acordo alcançado com o Canadá, permitindo assim a sua entrada em vigor provisória. Daí resulta que as empresas e os cidadãos da UE vão agora começar a colher, o mais rapidamente possível, os benefícios que o acordo proporciona. Este acordo comercial tem sido objeto de uma profunda análise parlamentar que reflete o interesse crescente dos cidadãos em matéria de política comercial. O intenso intercâmbio de pontos de vista sobre o CETA ao longo deste processo vem comprovar a natureza democrática do processo de decisão europeu.
 
O presente acordo progressivo representa uma oportunidade para moldarmos a globalização e influenciarmos o estabelecimento de regras comerciais globais. O melhor exemplo disto é o trabalho que já estamos a desenvolver com os nossos amigos canadianos para estabelecer regras multilaterais para lidar com questões de investimento.
Apelo agora a todos os Estados-Membros para que procedam a um debate aprofundado e inclusivo a nível nacional com as partes interessadas pertinentes no contexto do processo de ratificação nacional do acordo».
 
Este acordo cria novas oportunidades para as empresas da UE. Irá poupar mais de 500 milhões de EUR por ano às empresas da UE, atualmente pagos em direitos aduaneiros sobre mercadorias que são exportadas para o Canadá. Irá garantir às empresas da UE um acesso sem precedentes aos contratos públicos canadianos.
 
O acordo irá criar novas oportunidades para os agricultores e produtores de alimentos, sem deixar de proteger plenamente as sensibilidades da UE. A abertura da UE a determinados produtos é limitada e calibrada, sendo compensada pela abertura do Canadá, que satisfaz importantes interesses de exportação da União Europeia, nomeadamente de queijo, vinhos e bebidas espirituosas, frutas e produtos hortícolas, produtos transformados e a proteção de 143 produtos da UE de alta qualidade para o mercado canadiano.
 
Irá proporcionar maior segurança jurídica no setor dos serviços, melhor mobilidade para os trabalhadores das empresas, e um quadro que permitirá reconhecer as qualificações profissionais, desde os arquitetos aos operadores de gruas.
 
Os Estados-Membros continuarão a poder organizar os serviços públicos da forma que entenderem. Esta e outras questões foram clarificadas num Instrumento Comum Interpretativo que terá força vinculativa e que define, de forma clara e sem ambiguidade, o que o Canadá e a União Europeia acordaram em vários artigos do CETA.
 
 

Talk da Bolsa do Empreendedorismo 2017 em Évora

 
O CIED Aletenjo Central e Litoral, em parceria com a Bolsa de Empreendedorismo, da Representação da Comissão Europeia em Portugal, realizaram no passado dia 15 de fevereiro o evento de divulgação da Bolsa do Empreendedorismo 2017 em Évora. 
 
Esta talk contou com a participação de Alexandra Correia, coordenadora do Centro Europe Direct Alentejo Central e Litoral, que deu as boas-vindas a todos os interessados na sessão e apresentou a Rede de Incubadoras do Alentejo, seguida de Andreia Morita, que realizou uma breve apresentação do CIED e de como este estabelece uma ligação entre a região e a união europeia. 
 
Depois foi a vez de José Damião, Coordenador da Bolsa do Empreendedorismo, da Representação da Comissão Europeia em Portugal, explicar em que consiste a Bolsa de Empreendedorismo e apresentar as três grandes ações que se encontram a decorrer neste âmbito, com vista a promover uma cultura empreendedora em Portugal, sendo elas o Concurso Elevator Pitch | IdeiasQueMarcam (janeiro a maio 2017), o Evento Bolsa do Empreendedorismo (9 de maio, Dia da Europa), e o Concurso Canvas | ProjetosQueMarcam (abril a julho 2017).
 
Para finalizar a sessão, Mário Luís, CEO da empresa Agroinsider, partilhou a sua experiência no programa europeu SME Instrument. 
 
No final, houve ainda tempo para debate e esclarecimento de dúvidas em relação ao evento da Bolsa do Empreendedorismo e ao processo de participação dos programas de financiamento da união europeia.
 

“European Sweet Itineraries” - Itinerários europeus de doçaria para jovens

 
Ao longo dos últimos meses, um total de 36 estudantes das escolas de hotelaria e turismo da Letónia têm examinado os itinerários selecionados, confirmando que as rotas ESI dispõem das condições ideais para serem escolhidas como destinos de formação turística para estudantes de toda a Europa.
 
Após análise dos territórios e tecidos produtivos dos três Países envolvidos, os parceiros do projeto ESI conceberam três percursos pelo setor da doçaria e pastelaria em Espanha, Portugal e Itália. Cada roteiro inclui atividades didáticas relacionadas com as antigas tradições da doçaria e pastelaria local, associadas aos aspetos históricos e culturais das cidades de destino. Os percursos destinam-se a jovens inscritos em escolas e institutos de formação profissional na área do turismo, hotelaria e restauração. 
 
Segundo os parceiros do projeto, ESI não pretende apenas promover a oferta turística nas cidades selecionadas, como também fomentar o desenvolvimento das Pequenas e Medias Empresas dos setores e territórios envolvidos.
Os pacotes turísticos criados serão mantidos pelo menos durante os próximos dois anos, favorecendo assim a visibilidade dos territórios, empresas e operadores turísticos.
 
Relativamente a Portugal, os parceiros “lusos” do projeto são a Câmara de Comércio Luso Italiana (project leader), a Câmara Municipal de Óbidos, o operador turístico Pinto Lopes Viagens e a associação Évora Jovem.
Mais informação sobre o projecto: www.sweetsitineraries.eu e www.facebook.com/SweetsItineraries
 

Comissão lança consulta pública para continuar a dar forma ao Corpo Europeu de Solidariedade

 
A Comissão Europeia lançou uma consulta pública para recolher os pontos de vista de jovens, professores, animadores de juventude, organizações, empregadores e outras partes interessadas sobre as prioridades e o reforço do recém lançado Corpo Europeu de Solidariedade.
 
Tal como foi anunciado em dezembro, aquando do seu lançamento, a Comissão está a preparar uma proposta legislativa, agendada para o primeiro semestre de 2017, que configura uma base jurídica específica para o Corpo Europeu de Solidariedade. Os resultados da consulta permitirão definir com maior precisão e consolidar o Corpo Europeu de Solidariedade, contribuindo para o trabalho que a Comissão está a desenvolver com vista à proposta legislativa.
 
Marianne Thyssen, Comissária Europeia do Emprego, Assuntos Sociais, Competências e Mobilidade dos Trabalhadores, declarou a este propósito: «Congratulo-me com o facto de a criação do Corpo Europeu de Solidariedade estar a avançar bem e de acordo com o previsto. Do elevado número de jovens já inscritos, podemos concluir que os jovens europeus encaram positivamente esta nova oportunidade de melhorar a sua empregabilidade, ao mesmo tempo que exprimem solidariedade com quem precisa. Aguardo com expectativa os seus pontos de vista, bem como os de todas as partes interessadas.»
 
Tibor Navracsics, Comissário responsável Educação, Cultura, Juventude e Desporto, acrescentou: «O lançamento do Corpo Europeu de Solidariedade foi um sucesso e é com grande satisfação que vejo tantos jovens interessados e dispostos a dedicar o seu tempo e esforço para ajudar os outros. Temos agora de preparar cuidadosamente as próximas etapas. As reações dos jovens, assim como as das organizações que dão substância aos valores e às aspirações do Corpo Europeu de Solidariedade, são fundamentais para alcançar os resultados pretendidos.» 
 
A consulta pública terá uma duração de oito semanas e tem por base uma anterior consulta às partes interessadas realizada no final de 2016 aquando da preparação do lançamento do Corpo Europeu de Solidariedade em dezembro. Os jovens e as organizações participantes na consulta pública terão a oportunidade de avaliar os diferentes objetivos da iniciativa, dar conta da sua motivação para participar, comunicar as suas necessidades em matéria de informação e orientação e partilhar boas práticas. A consulta será complementada por consultas específicas com partes interessadas envolvidas no trabalho com jovens na UE.
 
 

Ligue-se a nós

 Facebook

 Twitter

 Youtube

 

Financiado por

 
 
 
 
 

Contactos

ADRAL
Rua Intermédia do PITE, 

Lt 4 e 6 7005-513 Évora
Tel (+351) 266 769 159
E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.