A UE recebe o Prémio Nobel da Paz

A UE doou o prémio monetário a projectos educativos em benefício de crianças vítimas de conflitos.
Em 2012, a UE foi galardoada com o Prémio Nobel da Paz pelos seus esforços em prol da paz, da reconciliação, da democracia e dos direitos humanos na Europa e decidiu doar o montante recebido às crianças que não têm a sorte de crescer num clima de paz.
Dos cerca de 75 milhões de crianças de todo o mundo que não podem frequentar a escola, mais de metade vive em zonas de conflito. No entanto, a assistência humanitária destinada à educação não dispõe de financiamento suficiente. Foi esse o motivo que levou a UE a apoiar projectos educativos de emergência.
Além disso, a UE decidiu complementar o montante do prémio (930 000 euros) e distribuir dois milhões de euros por quatro projectos educativos seleccionados no ano passado que, até à data, ajudaram 28 000 crianças.


Projectos ao abrigo da iniciativa «Crianças da Paz» da UE
Os projectos seleccionados visam dar apoio educativo e contam com a colaboração de parceiros da UE bem conhecidos na área da ajuda humanitária: ACTED (Iraque), UNICEF (Paquistão), UNHCR (Colômbia e Equador) e «Save the Children» e «Norwegian Refugee Council» (Etiópia e República Democrática do Congo).
No Iraque, o projecto permite aos jovens refugiados sírios com idades compreendidas entre 5 e 15 anos participar em actividades recreativas e terapêuticas supervisionadas.
Para apoiar os refugiados somalis, sudaneses e eritreus na Etiópia, cerca de 500 000 euros foram consagrados à criação de espaços de aprendizagem seguros, à reabilitação de salas de aula, bem como à distribuição de pastas, de material didáctico para os professores e de material lúdico.


Próximas etapas
A UE tenciona prosseguir esta iniciativa nos próximos anos enquanto legado político do Prémio Nobel da Paz e como instrumento para a promoção da educação nas zonas de conflito.
Para 2014, a UE decidiu duplicar uma vez mais os recursos e afectar mais quatro milhões de euros a novos projectos e aos projectos em curso, contribuindo assim para ajudar mais de 80 000 crianças vítimas da guerra.

Your Europe, Your Say 2014!

Act. React. Impact.


A iniciativa Your Europe, Your Say é a visita de estudo mais excitante de todas!
É uma visita de estudo a Bruxelas, em que os participantes vão poder conhecer outros alunos de outros países, falar com os líderes políticos e trocar pontos de vista.
Esta iniciativa destina-se a jovens de 16 e 17 anos de toda a Europa, sendo seleccionada uma escola por país.
Inscrições online até 30 de Novembro (meia-noite, hora de Bruxelas).


Para mais informação e inscrição online consulte: www.eesc.europa.eu

O programa Europa Criativa destaca a vertente económica e patrimonial da cultura

A diversidade cultural é um dos pontos fortes da Europa. O programa Europa Criativa 2014-2020 tem como objectivo proteger esta diversidade e fortalecer a competitividade do sector cultural. O programa foi aprovado pela comissão parlamentar da cultura a 5 de Novembro e irá agrupar os programas já existentes Cultura, MEDIA e MEDIA Mundus. Falámos com a relatora, a eurodeputada italiana Silvia Costa, antes da votação do relatório, em plenário, no dia 19 de Novembro.
Porque é que o programa Europa Criativa é tão importante e quais são os desafios a que o programa pretende responder?
A cultura é importante para a Europa e também para as políticas europeias. Por um lado, é um sector económico produtivo que representa 7% do produto interno bruto europeu. Por outro lado, temos uma herança cultural europeia tangível e intangível.
Apesar dos cortes impostos pelos governos no orçamento global da UE, o Parlamento Europeu conseguiu aumentar o financiamento para os sectores culturais e criativos. Com o programa Europa Criativa tentamos responder aos principais desafios do sector cultural: o acesso ao crédito, à globalização, à digitalização e à fragmentação do mercado.
O que muda com a introdução deste programa relativamente aos programas Cultura, MEDIA e MEDIA Mundus?
O programa Europa Criativa vai unificar os programas MEDIA, MEDIA Mundus e Cultura já existentes num quadro comum e vai oferecer um instrumento financeiro mais estruturado. No entanto, cada programa continuará a ter os seus próprios objectivos e critérios de avaliação. O programa destaca a vertente dupla da cultura: a económica e a patrimonial.
Como é que o programa vai ajudar as pequenas e médias empresas em termos de acesso ao financiamento?
Existe uma mudança importante: um instrumento de garantia para os sectores culturais e criativos que irá disponibilizar assistência ao acesso ao crédito às micro, às pequenas e médias empresas criativas.

Quer ajudar a tirar o lixo dos oceanos? A Comissão Europeia espera pelas suas sugestões

Como se sentiria se soubesse que aquele saco de plástico que deixou na praia há uns anos estava agora no seu prato do almoço? É um risco que todos corremos: ingerir pequenas partículas de plástico resultantes de todas as más práticas ambientais em todo o mundo. Ciente deste flagelo, a Comissão Europeia está a apelar à participação de todos para encontrar soluções para o problema.
A quantidade de poluição nos oceanos, especialmente por plásticos, afecta negativamente a biodiversidade e saúde dos oceanos. Na Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável – Rio+20, realizada em 2012 no Rio de Janeiro (Brasil), propôs-se que a quantidade de resíduos sólidos, incluindo plásticos, nos mares e oceanos fosse reduzida até 2025.
A Comissão Europeia quer ir mais longe com o seu 7º Programa de Ambiente, proposto em 2012, e que inclui várias medidas de protecção ambiental e do seu impacto na saúde humana. Pretende, assim, estabelecer uma meta de redução do lixo marinho para todos os Estados-membros.
Neste momento, todos os interessados – indústrias de plásticos, de pescas ou de navegação, organizações não-governamentais, autoridades locais e nacionais e todos os cidadãos – são convidados a preencher um questionário em inglês, para avaliar o que pensa cada um destes grupos sobre as medidas que poderão ser tomadas. O questionário pode preencher-se até ao próximo dia 18 de Dezembro.


Para mais informação e para preencher o questionário: www.publico.pt/ciencia

Estados-membros da UE e Parlamento Europeu selam acordo sobre Orçamento de 2014

Foram precisas 15 horas de negociações para alcançar proposta que deverá ser aprovada formalmente no espaço de 14 dias.
Os 28 Estados-membros da União Europeia (UE) e o Parlamento Europeu chegaram, esta segunda-feira, 11 de Novembro, a acordo sobre o Orçamento comunitário de 2014, novamente marcado pela austeridade.
"Foram umas negociações longas, mas valeu a pena: a presidência lituana alcançou um acordo com o Conselho da UE e o Parlamento Europeu sobre o orçamento comunitário de 2014 que favorece o crescimento, o emprego e a inovação", salientou a representação da Lituânia na sua conta da rede social Twitter.
O comissário europeu do Orçamento, Janusz Lewandowski, titular adjunto da pasta das Finanças da Lituânia, Algimantas Rimkunas, e o chefe negociador do Parlamento Europeu, Alain Lamassoure, selaram o acordo brindando com champanhe, refere a agência Efe.
O orçamento acordado conta com uma dotação de 142.640 milhões de euros em compromissos e 135.505 milhões de euros em pagamentos, mais 414 milhões e 500 milhões de euros, respectivamente, face aos valores estabelecidos inicialmente como limite pelos Estados-membros.

Ligue-se a nós

 Facebook

 Twitter

 Youtube

  Instagram 

 

Financiado por

 
 
 
 
 

Contactos

Alentejo Central: Rua Circular Norte do PITE 35, 7005-841 Évora

Alentejo Litoral: Avenida de Santiago, 1º Andar do Gabinete Municipal,

7500-170 Vila Nova de Santo André

Tel (+351) 266 769 159
E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.