Parlamento Europeu apoia transição para biocombustíveis com menor impacto ambiental

Os eurodeputados votaram a favor de medidas para acelerar a transição dos biocombustíveis clássicos, como o etanol ou o biodiesel, para os de segunda geração, como os produzidos a partir de algas ou resíduos. O objectivo é reduzir as emissões de gases com efeito de estufa resultantes da crescente utilização de terrenos agrícolas para a produção de biocombustíveis.

"Este debate foi muito difícil porque os interesses económicos estiveram vincadamente presentes. Trata-se de um texto muito técnico, mas com implicações económicas e éticas importantes", disse a relatora da Comissão do Ambiente do PE, Corinne Lepage (ALDE, França).

O Parlamento Europeu defende que a quota de energia proveniente de biocombustíveis "clássicos" ou de primeira geração, produzidos a partir de cereais e outras culturas ricas em amido e culturas açucareiras, oleaginosas e outras culturas energéticas cultivadas em terra, não deve ser superior a 6% do consumo final de energia nos transportes em 2020. Actualmente, o objectivo para 2020 está fixado nos 10%.

Os eurodeputados são a favor de que sejam tidas em conta as emissões de gases com efeito de estufa que resultam da crescente utilização de terrenos agrícolas para a produção de biocombustíveis. Essas emissões decorrentes das chamadas "alterações indirectas do uso do solo" (AIUS) podem anular a redução das emissões associadas aos biocombustíveis. 

Ligue-se a nós

 Facebook

 Twitter

 Youtube

  Instagram 

 

Financiado por

Cofinanciado pela União Europeia

Contactos

Alentejo Central: Rua Circular Norte do PITE 35, 7005-841 Évora

Alentejo Litoral: Avenida de Santiago, 1º Andar do Gabinete Municipal,

7500-170 Vila Nova de Santo André

Tel (+351) 266 769 159
E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.